top of page
Buscar

Vários Cérebros, Poucas Regras

" (...) Mas o que surpreende é que, embora novidades funcionais e possibilidades comportamentais possam surgir, algumas regrinhas básicas de sobrevivência são mantidas pelos sistemas nervosos ao longo do reino animal. Quais regrinhas são essas (que todos nós compartilhamos)? (...)"



Era uma vez um animálculo microscópico, chamado "rotífero" (figura ao lado). Se você dividir 1 milímetro por 20, você pode encaixar um rotífero neste diminuto espaço. Isto significa que eles medem aproximadamente 50 micrômetros, e vivem suas vidas em ambiente aquático, fazendo parte importante do zooplâncton do planeta.



Com meros 200 neurônios (guarde esta informação) distribuídos de forma organizada ao longo de seus pequeninos corpos, os rotíferos conseguem se mover, se alimentar movendo suas mandíbulas protéicas, procurar condições favoráveis no ambiente e mesmo buscar possíveis parceiros de acasalamento. O que isto significa?




Duzentos neurônios! Aparentemente, como nos mostram os rotíferos, este número nos mostra que não são necessários muitos neurônios para formar um pequeno "centro de comando" com os principais parâmetros comportamentais dos animais.




Dando um salto e movendo nossa exploração adiante para o mundo macroscópico, as formigas com as construções de seus formigueiros intricados, com suas redes de comunicação e seus trabalhos em equipe, possuem em média 250 mil neurônios. Já as abelhas, com seus olhos equipados com visão em cores, seus sentidos apurados e suas cooperações fantásticas, possuem 960 mil neurônios. Quase 1 milhão.




E quanto a nós seres humanos? Nossa cifra é de aproximadamente 86 bilhões de neurônios. Um tanto a menos do que os elefantes, que possuem impressionantes 251 bilhões de neurônios. São quase 3 vezes mais do que nós!


O elefante possui um cérebro de 6kg em média, com aproximadamente 251 milhões de neurônios.


Mas o que surpreende é que, embora novidades funcionais e possibilidades comportamentais possam surgir, algumas regrinhas básicas de sobrevivência são mantidas pelos sistemas nervosos ao longo do reino animal. Quais regrinhas são essas (que todos nós compartilhamos)?



(1) Ser sensível a estímulos de diferentes naturezas (luz, temperatura...) e

(2) Coordenar esses estímulos para a ação coerente do organismo (preservação).


 

A pergunta que fica é a seguinte: será que o fato de estes seres possuírem poucos neurônios e pouca complexidade significa que todas suas atividades são "reflexas"?


Ou será que mesmo com sistemas nervosos rudimentares um ser vivo pode ter alguma experiência sensível ao interagir com seu meio?





 



Ref.:


Herculano-Houzel, Suzana (9 November 2009). "The human brain in numbers: a linearly scaled-up primate brain". Frontiers in Human Neuroscience. 3: 31. doi:10.3389/neuro.09.031.2009. PMC 2776484. PMID 19915731.


Menzel R, Giurfa M (February 2001). "Cognitive architecture of a mini-brain: the honeybee". Trends Cogn. Sci. 5 (2): 62–71. doi:10.1016/S1364-6613(00)01601-6. PMID 11166636. S2CID 3202685.

bottom of page