Buscar

Como vai o GPS do seu cérebro?

Seu cérebro muda a cada nova habilidade que você adquire. O quanto mais exercitamos certas funções, mais pronunciadas são as modificações nas redes neuronais.




Digamos que você esteja dentro de uma máquina de tomografia por emissão de pósitrons (PET) e estejam observando seu cérebro enquanto você olha para uma tela e navega virtualmente por uma cidade fictícia utilizando controles como os de videogames. Sua tarefa é primeiro se familiarizar com o local e depois ir de um ponto A até um ponto B. O que os neurocientistas virão enquanto você realiza esta tarefa? Que o seu hipocampo direito, seu núcleo caudado esquerdo e sua região parietal inferior direita estão ativados. O que significa isto?



Que seu cérebro ativa em sua memória um mapa dos locais a percorrer (hipocampo), que você planeja o momento de fazer conversões e agir (núcleo caudado) e que você conecta o mapa e seus possíveis movimentos virtuais com uma representação do seu próprio corpo no espaço, ou seja, com sua representação egocêntrica (parietal inferior).




Essa pesquisa foi feita pela equipe da neurocientista Eleonor Maguire, em Londres, e os indivíduos testados eram taxistas de Londres, cujo treinamento leva em média 3 anos pois é necessário que eles memorizem uma enorme quantidade de ruas e rotas da cidade.

A equipe estava interessada em desvendar como era a “coreografia” do cérebro nessas situações de navegação, mas as implicações do estudo vão além do mapeamento das regiões ativadas. Uma implicação que se notou é que os anos de treinamento realmente modificaram o hipocampo dos taxistas, que aumentou significativamente de volume em comparação às pessoas com outras ocupações.


Virtual vs Real


Outra implicação é que o cérebro “não se importa” de fato se a tarefa é realizada através de uma tela, virtualmente, ou se ela é realizada na “vida real” (a comparação com experimentos feitos em ratos executando atividades de navegação mostra atividades em regiões parecidas). Isso nos traz um par de considerações... Nosso cérebro é um órgão dinâmico e está constantemente se modificando dentro de seus parâmetros de funcionamento: por exemplo, ler todos os dias sobre o cérebro modifica seu cérebro. Em outras palavras: escolha bem as tarefas que você executa repetidamente!

Em segundo lugar, não é incrível que o meio virtual seja, em certa medida, real para nossas experiências e que o cérebro não faça distinção entre cenários? Quem já jogou videogame sabe o quanto o mundo virtual pode ser real, não é?

E então? Com quais atividades você modifica seu cérebro diariamente?




 


Ref.; Maguire EA, Gadian DG, Johnsrude IS, et al. Navigation-related structural change in the hippocampi of taxi drivers. Proc Natl Acad Sci U S A. 2000;97(8):4398-4403. doi:10.1073/pnas.070039597