Buscar

Seu ouvido é o microfone do mundo

Lá dentro do ouvido, as células -literalmente- dançam conforme a música.





Nosso sistema auditivo é um captador de ondas sonoras, assim como um microfone de um entrevistador


Onde fica o microfone do ouvido? Você sabe que seu celular, por exemplo, possui um sistema de captação de sons além de uma caixa de emissão de sons, certo? Mas e quanto a nós? Onde está o tradutor de ondas sonoras em sinais elétricos que o cérebro processa? Uma música, o barulho da cidade, o miado de um gatinho, o canto de um pássaro ou o som da voz da sua mãe chamando seu nome: tudo que você ouve é captado pelo nosso sistema auditivo.



O captador

Temos no interior do ouvido uma estrutura em forma de caracol, chamada cóclea, que é revestida por milhões de células captadoras de som. Estas células se chamam "células ciliadas" e elas possuem pequenas projeções em forma de bastões chamadas "estereocílios". Estes estereocílios ficam agrupadas em forma de luva de baseball, ficando agrupados e bem organizados em linhas, como vemos na foto.




Os dançarinos


As células ciliadas, juntamente com suas fibras nervosas e com as estruturas adjacentes formam o Órgão de Corti, que é o órgão mecanossensorial da cóclea, presente no ouvido interno.

Quando ouvimos uma música, por exemplo, os estereocílios vibram de acordo com as ondas sonoras, fazendo com que proteínas (mecanorreceptores) que recobrem a base destas estruturas se abram, o que permite a entrada de potássio nas células. Este influxo de potássio (em outras células, o influxo é predominantemente de sódio) gera a corrente elétrica que é transmitida através do nervo coclear até as estações de processamento auditivo.




Uma destas estações é o córtex auditivo, e lá, a natureza de cada som é decodificada, gerando nossas representações de timbre e tom, por exemplo. É este processamento refinado que nos permite distinguir entre um instrumento e outro, mesmo que ambos esteja emitindo a mesma nota musical.

Ilustração mostrando o córtex auditivo em lilás. Esta área recebe os sinais vindos do interior do ouvido, das células ciliadas.

O interessante é que estas estruturas literalmente dançam com o som que chega aos nossos ouvidos. A cada onda sonora que chega, os estereocílios se movem no mesmo ritmo. Quanto mais alto é o volume, maior é o movimento das células; quanto mais baixo, menor.


Este é um diminuto esboço das etapas de transformação ou transdução do som em estímulos dentro do nosso cérebro. Da próxima vez que você mandar um áudio para um amigo pela internet, lembre-se que sua voz será captada não só pelo microfone do celular, mas pelo microfone microscópico embutido no interior do ouvido do seu interlocutor. Quando sua voz chegar ao ouvido do seu amigo, ela fará os estereocílios dele dançarem. É esta dança microscópica que nos faz ouvir tudo ao nosso redor!



 

Atenção!


Quer fazer suas células ciliadas dançarem? Vá até o minuto 1'00' do vídeo a seguir e veja uma gravação laboratorial. É assim que elas dançam dentro do seu ouvido.

Deixe as células ciliadas dos seus amigos dançarem também! Compartilhe!




 

Referência: Bear, Mark F., author. Neuroscience : Exploring the Brain. Philadelphia :Wolters Kluwer, 2016.